Olimpíada de Inovação

Como pensar no futuro do seu negócio implantando a cultura da inovação

Que tal no período de uma semana ensinar conceitos e ferramentas para um grupo de colaboradores, como suporte necessário para a construção e desenvolvimento de soluções para os problemas de forma inovadora?

A SK Aprendizagem, novamente participa da Olimpíada Nacional de Inovação, esse ano em sua segunda edição, realizada pelo sistema Eletrobras. Este evento tem por objetivo incentivar a execução de projetos inovadores, capitaneados pelos colaboradores, por meio da identificação de problemas ou oportunidades no ambiente de trabalho.

Apesar do caráter competitivo da Olimpíada e dos benefícios claros que os projetos desenvolvidos proporcionam às empresas, há também, a missão de espalhar a cultura da inovação.

Nosso papel é conduzir o projeto num formato híbrido de Design Sprint, StartUpWeekend e atividades de aprendizagem comportamental combinadas. Desse modo, ao mesmo tempo em que os participantes aprendem a inovar e desenvolvem seus projetos, também estão aprendendo sobre como se relacionar melhor em equipe e tomar decisões em grupo.

Os conceitos e ferramentas usadas no desenho desse projeto serão:

1.            Design Thinking: é uma abordagem que se baseia na nossa capacidade de sermos intuitivos, de reconhecer padrões e desenvolver ideias com apelo emocional e não apenas funcional.

2.            Lean Startup: “Startup enxuta”. Um conceito para otimizar processos, identificando e eliminando desperdícios (de tempo, custo, recursos, etc.) ao mesmo tempo que entrega mais valor ao cliente.

3.            Psicologia da Inovação: Investiga os mecanismos psicológicos que favorecem ou impedem o desenvolvimento de uma mentalidade inovadora. Ajuda organizações a resolver problemas complexos, transformar a maneira de pensar e modificar paradigmas .

A PRIMEIRA EDIÇÃO

Durante a semana de inovação, os 40 participantes foram orientados a identificar problemas e elaborar soluções, desenvolvê-las e apresentá-las em um pitch para avaliação, formado por diretores de várias empresas do grupo.

Ao final, das 10 soluções apresentadas, a companhia poderia escolher até 6 propostas para receber apoio financeiro e técnico para se transformarem em MVPs (Produto Mínimo Viável) e prototipação.

Ao colocar diversos participantes, de diferentes regiões do Brasil, para experimentarem um processo de inovação completo (da identificação de problemas até a proposição de MVPs), mais do que fazer com que cada pessoa saia do programa com uma ideia desenvolvida, o objetivo é o compartilhamento de conhecimentos e habilidades.

Cada colaborador volta para sua área com o novas habilidades e técnicas e ao replicar o que foi aprendido, atuam como multiplicadores dessa nova cultura de inovação.

Deixe um comentário