“Ei! Vocês estão ai?” Como lidar com a solidão do professor na aula online

Quem nunca sentiu aquele vazio, ou mesmo se perguntou: “O que estou fazendo aqui”? Olhando para aquele monte de quadradinhos pretos, com nomezinhos, e nada de interação com os alunos numa aula online?

Numa pesquisa informal que os consultores da SK Aprendizagem conduziram com professores e facilitadores, foram constatados os seguintes pontos em comum:

  1. Os professores e facilitadores se ressentem quando os alunos “não abrem as câmeras”.
  2. Muitos ficam preocupados se “estão passando o conteúdo”, pois ficam preocupados que no ambiente online não tem tanta segurança de que os alunos estão absorvendo a matéria.
  3. Não há como saber o que os alunos estão de fato fazendo e se não estamos falando sozinhos.
  4. Essa situação gera uma ansiedade generalizada e algumas sensações de perda do controle sobre o espaço da sala de aula, deixando alguns desconfortáveis.
  5. Grande parte expressou preocupação com a queda no resultado das ações de ensino e aprendizagem em razão de não “haver interação” com os alunos.

Nossa primeira reflexão a respeito desse tema vem da teoria da Andragogia e das técnicas que ela oferece para acolher as ansiedade dos facilitadores e professores e também Preparar o Participante (1º Elemento da Andragogia, M. Knowles). Se nós, professores estamos desconfortáveis, aflitos e ansiosos, vamos sem dúvida repassar esse sentimento, seja na aula online ou presencial para nosso público. 

Quando Edouard Lindeman identificou os primeiros pressupostos da educação de adultos, ele percebeu que a “forte necessidade de se autodirigir” é uma característica que distinguia os alunos adultos, já em 1926. De maneira vibrante, Carl Rogers expressa que a Liberdade de Aprender é uma das mais importantes condições para a efetiva aprendizagem, a autoaprendizagem. Esses conceitos não são novos, mas são profundamente atuais. Permitir – mais do que permitir – criar ativamente condições para que o aluno busque a aprendizagem a partir de si próprio é o modo de ensinar pessoas adultas.

Assim, em nossa visão, a principal base para vencer a “solidão da aula online” da nossa parte, como professores e facilitadores está na reflexão sobre a necessidade do controle, e abrir mão desse controle. Se na aula presencial essa forma de aula, as vezes chamada tradicional, tinha resultados medianos, no ambiente virtual esses resultados se mostram mais pobres ainda.

De forma simplificada existem três áreas que podem ser repensadas para lidar com essas mudanças e gerar bom resultados na aprendizagem junto com os alunos:

  • Dimensão emocional e ressignificação espaço-tempo do ambiente da educação.
  • Design instrucional adequado e responsivo (o aluno pode acompanhar a aula pelo smart watch, p. ex.).
  • Domínio das ferramentas que estão disponíveis.
Nosso convite é para que você conheça a combinação da teoria Andragogia e as modernas práticas de ensino / aprendizagem nas áreas Corporativa e Educacional através dos nossos cursos abertos.
  

REFERÊNCIAS:

KNOWLES, Malcolm. Aprendizagem de resultados: uma abordagem prática para aumentar a efetividade da educação corporativa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LINDEMAN, R. The meaning of adult learning. https://archive.org/details/meaningofadulted00lind Acesso em 8 de janeiro de 2016 

 ROGERS, Carl. Liberdade de aprender em nossa década. Porto alegre: Artes Médicas, 1985. 

Deixe uma resposta