Artigos

Acolher o participante nas aulas online

Fabrizia Rossetti

Quem já não se sentiu frio e distante olhando para a tela com os quadradinhos das plataformas de videoconferência? Ou ainda, ansioso e pensando: o que farei para acolher os participantes que virão para minha aula, e que chegam através de notificações na tela?

Essas sensações derivam, em parte, do fato de que a dimensão de espaço e tempo nas aulas online precisam ser reconfigurada. E ainda não fizemos isso, pois como humanos não temos um painel de configurações, mas um complexo sistema de adaptação que funciona na dimensão da aprendizagem.

Assim, vamos pensar no acolhimento dos nossos participantes de aulas online. Um bom acolhimento trará melhor efetividade do aprendizado e desde essa etapa o processo deve ser pensado. Em nossa visão, as aulas online com a abordagem da Andragogia podem ter acolhimento, diversão e atrair os participantes.

Agora, se a aula usar as plataformas de videoconferência, mas os Elementos da Andragogia não estiverem presentes, pode ser que lembre muito os modelos antigos e tradicionais de aula: os alunos numa posição de dependência de um professor que ensine, sem assumir o papel de adultos questionadores autodirigidos.

No modelo da Andragogia o participante de uma aula por videoconferência é impactado com uma abordagem diferente daquela em que está acostumado. As ferramentas que estimulam a interatividade podem auxiliar e precisam estar ancoradas no Processo do Grupo não servindo apenas como elemento de entretenimento.

O Primeiro Elemento da Andragogia criado porMalcolm Knowles (2009, p.123) é a principal dica para o melhor acolhimento e adequar as ferramentas disponíveis para as aulas online:

1º ELEMENTO à Preparar o Participante (Aprendiz)

  • Forneça informações.
  • Prepare para a participação.
  • Ajude a desenvolver expectativas realistas.
  • Comece a pensar nos conteúdos.

O QUE ISSO QUER DIZER NA PRÁTICA:

  • Forneça informações – Todas as informações sobre a aula, desde conteúdo, duração e formas de acesso que minimizem enganos e desgastes. Pense na experiência do participante, mas não perca de vista o processo do grupo que encontra soluções juntos. Todos esses manejos ajudam o aluno adulto a se situar da melhor forma dentro do espaço [virtual] no qual vai acontecer a aula.
  • Prepare para a participação – Esse preparo do aluno começa com a forma como são recebidos em sala. Quando fazemos a proposta do contrato de aprendizagem estamos preparando o aluno para se autodirigir, isto é, para aprender a aprender, a aprender a conviver em grupo, a partilhar suas ideias em público e colaborar no processo de troca de experiência e construção do conhecimento.
  • Ajude a desenvolver expectativas realistas. O que irá de fato acontecer na aula. Não venda na sua fala inicial o que não pode entregar durante aquele período de tempo. Esse tópico será aprofundado num artigo posterior sobre Contrato de Aprendizagem e já é possível perceber que nada é mais frustrante do que dispender horas diante de uma aula ou live e só ao final descobrir que o assunto desejado nem iria ser tratado.
  • Comece a pensar nos conteúdos. Sim, isso mesmo. Os conteúdos na Andragogia são previamente pensados e preparados pelo instrutor, mas deve existir um espaço de flexibilidade para adaptar aos interesses e necessidades do aprendiz em tempo real durante a aula. Do contrário a dispersão será inevitável.

A aplicação da Andragogia em aula online não á apenas a tentativa de reprodução, pura e simples, de um modelo presencial para a realidade à distância. Significa a adoção de uma conduta do instrutor que está disposto a colocar os participantes como foco do aprendizado.

Quer saber mais sobre isso? Faça o curso de Andragogia com a gente.

Referência: KNOWLES, Malcolm. Aprendizagem de resultados: uma abordagem prática para aumentar a efetividade da educação corporativa. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

Deixe uma resposta